Natal de Verdade

Reflexões Verdadeiramente Natalinas

Devocionais Natalinos - DTS

Saindo do Egito

desert2

Vocês farão bem se a ela prestarem atenção, como a uma candeia que brilha em lugar escuro, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça no coração de vocês.  (2 Pedro 1:19)

“Papai, já chegamos?”

Era uma viagem longe e fria. O irmão e a irmã do garoto estavam adormecidos na parte de trás da carroça. A mãe estava encostada neles, escutando e espiando por debaixo dos cobertores para ver seu filho mais velho e seu marido sentados lado a lado, conversando no escuro. Os sussurros pairavam no ar.

“Ainda teremos mais algumas horas para chegar lá, filho.”

“Conte-me a história novamente, papai, por favor?”

A mulher do marido coçou seus olhos e mirou a paisagem que lentamente passava. “Por que ao invés disso nós não jogamos um jogo?”

“Do tipo ‘dê nome às estrelas?'”

“Claro, brincaremos de ‘dê nome às estrelas.’ Você começa.”

A mãe do garoto se maravilhava com os nomes que seu filho mais novo dava para as constelações. O seu marido corrigia o garoto quando ele errava, mas o pequeno sorria e dizia: “É assim que gosto de chamá-las”. Ele tinha uma mente singular e não havia como negar isso. Sua mãe sabia disso desde o primeiro dia. Ele tinha o seu próprio jeito sobre ele mesmo.

Ela observava o seu filho enquanto ele procurava as estrelas – não como quem as descobria, mas como quem as reconhecia. Ela viu ele olhando para o seu marido e sorrindo. “E então, papai, já estamos lá?” Não parecia uma pergunta. O deserto estendido diante deles em direção ao horizonte leste e a estrela da manhã. O pai colocou o braço no ombro do filho e o puxou para perto. Ele falou algo suave. E o filho sussurrou algo em seu ouvido. A mãe não pôde escutar, mas sorriu. É claro que eles estavam lá – porque onde quer que Jesus estivesse, eles estavam em casa.

Por Dr. Reg Grant, professor de mídias artísticas e adoração.

Tradução de Lucas Machado
Original em DTS 

  1. Dani Almeida

    Poético! Lindo!

Deixe um Comentário