Natal de Verdade

Reflexões Verdadeiramente Natalinas

Presépio de Lego

Lego Advento Natal de Verdade

*Post carente de revisão ortográfica.

Com o intuito de apresentar o verdadeiro Natal para os nossos filhos, nós criamos este projeto: montar os históricos e bíblicos personagens de um presépio a partir dos conjuntos de Lego que ele já tinha. Durante 10 dias, um novo elemento era acrescentado no presépio. Além da montagem e juntamente conosco, nosso filho mais velho (6 anos) lia uma reflexão bíblica, conversava sobre o tema e orava.

O intuito em compartilhar este projeto é de encorajar os pais a conduzirem seus filhos à compreensão da essência do Natal em meio a tanta distorção e distração na época em que celebramos o nascimento do Salvador.

Sintam-se à vontade para copiar, adaptar e especialmente criar. Nós mesmos baseamos e desenvolvemos as ideias presentes naquilo que encontramos no mundo virtual (internet).

Boa diversão e um ótimo Natal de Verdade!

Maria

Maria

Certo dia, antes mesmo dela se casar com José, Maria recebeu a visita do anjo Gabriel. Ele disse que Maria seria a mãe de Jesus. O menino do ventre de Maria tornar-se-ia rei e seu reino jamais terminaria.

Nenhuma mãe deste mundo teve ou teria um filho tão especial como Maria. Isabel, parente dela e também grávida de João Batista lhe disse: “Bendita é você entre as mulheres, e bendito é o filho que você dará à luz!” (Lucas 1.42)

No natal nós celebramos o nascimento deste rei. Um nascimento que aconteceu num cenário bastante simples, de uma mãe que reconhecia o privilégio que tinha em mãos. Maria reconhecia ser Deus seu Salvador e ela, Seu servo: “Minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, pois atentou para a humildade da sua serva.” (Lucas 1.46-48).

Agradeçamos a Deus em oração pelo tão elaborado e amoroso plano de Deus, enviando Seu Filho amado para nascer entre pecadores como nós, de cujas mãos um dia Ele sofreria a morte, para que um dia pudéssemos, por causa da graça dEle, por meio de nossa fé nEle, sermos salvos.

O anjo Gabriel

anjo Gabriel

O anúncio do nascimento de Jesus para Maria foi feito pelo anjo Gabriel. Suas palavras eram do próprio Senhor, como inclusive reconheceu Isabel: “Feliz é aquela que creu que se cumprirá aquilo que o Senhor lhe disse.” (Lucas 1.45)

Gabriel explicou exatamente como seria os preparativos do Natal, como Maria ficaria grávida sem ela ainda estar casada com José. Para Deus, conclui o anjo, nada é impossível.

Felizes são todos aqueles que creem no Natal como ele verdadeiramente é: o nascimento do Santo, Filho de Deus, Jesus Cristo.

Que tal orarmos pelo dom da fé e para que sejamos veículos de transmissão dessa amorosa verdade? Deste festivo e inconfundível amor natalino?

José

Jose

Quando Maria ficou grávida, ela ainda não era esposa de José. Qualquer pessoa no mundo teria achado isso extremamente esquisito e não foi diferente com José. Sendo ele um “homem justo” (Mateus 1.19), quando descobriu a gravidez de Maria pensou em terminar o noivado secretamente. Todavia, antes que ele procedesse com a ideia, um anjo lhe apareceu num sonho para lhe contar como Maria havia ficado grávida: “o que nela foi gerado procede do Espírito Santo.” (Mateus 1.20)

O Natal é uma ideia de Deus. O nascimento de Jesus sempre foi Seu plano perfeito para possibilitar salvação à humanidade. Aquele bebezinho, explicou o anjo a José, salvaria o seu povo dos seus pecados.

No Natal nós celebramos a divina chance de estarmos em comunhão com Deus. Nenhum homem por si mesmo é capaz de superar a barreira do pecado, mas Jesus, sendo Ele o próprio Deus, se fez homem para morrer em nosso lugar e assim, possibilitar que nos relacionemos com Deus. Aquele que crer em Deus viverá com Ele para sempre!

O estábulo

estabulo

Por causa de uma ordem do governo para a contagem da população, José e Maria foram para a cidade de Belém próximo do fim da gravidez. Não era segredo que o Messias, Jesus Cristo, nasceria nesta cidade. O profeta Miquéias já havia escrito: “Mas tu, Belém-Efrata, embora sejas pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos.” (Miquéias 5.2)

Ao chegarem em Belém, não havia lugar para eles na hospedaria e tiveram que se acomodar num estábulo. O local parecia ser simples demais para o nascimento do Rei dos reis e Senhor dos senhores. Mas não se engane, a simplicidade do cenário natalino não é por acaso.

O foco do Natal nunca foi o estábulo onde Jesus nasceu. Nunca foi José e Maria, tampouco os pastores ou os magos e seus presentes. O foco do Natal sempre foi e sempre será Jesus. Nunca haverá alguém ou alguma coisa mais especial do que Ele.

No Natal, seja ele com banquete ou sem, com pessoas ou sem, com saúde ou sem, nada pode acrescentar ou diminuir a glória de Jesus. Naquela época, assim como a estrela brilhava no céu apontando para o Santo bebê, que as luzes do nosso Natal brilhem em reconhecimento à única pessoa digna de toda a nossa adoração, Jesus, o Salvador.

As ovelhas

IMG_2644

O fato de sabermos que Jesus fora posto numa manjedoura, lugar onde se coloca comida para alguns tipos de animais, nos leva a imaginar quais animais prestigiaram o nascimento do Santo bebê.

Dentre os vários animais que a Bíblia usa em suas histórias, a ovelha é um dos mais conhecidos. Será que havia ovelhas onde Jesus nasceu? Não sabemos com certeza.

Todavia, nós sabemos que Jesus era e é o supremo e bom pastor. Ele disse que por Suas ovelhas ele dá a Sua vida; e deu.

O Natal também é um dia de celebrarmos as promessas de Deus. A vinda de Jesus é uma delas. A segurança que as ovelhas do Seu aprisco possuem é outra. Como o rei Davi, podemos todos dizer: “O Senhor é meu pastor; nada me faltará.” (Salmo 23.1)

Agradeçamos a Deus pelo Seu cuidado. Como ovelhas, somos carentes de alguém que cuida de nós. Não há ninguém que pode ocupar esse papel melhor do que Jesus. Para garantir nossa salvação, Ele morreu no nosso lugar e tudo o que nos pede é que creiamos nEle. Você crê nisso? “Aquele que crê tem a vida eterna.” (João 6.47)

Os pastores

IMG_2647

Não se surpreenda ao perceber que, na história do Natal, os anjos gostavam de anunciar Jesus Cristo. Eles já Lhe conheciam antes dEle ser um bebezinho, pois Jesus, o Filho de Deus, sempre existiu junto ao Pai.

O evangelista Lucas nos conta uma dessas histórias, de anjos anunciando aos homens sobre o Salvador: “Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse: ‘Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor. Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura’. De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo: ‘Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor’. Quando os anjos os deixaram e foram para o céu, os pastores disseram uns aos outros: ‘Vamos a Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos deu a conhecer’. Então correram para lá e encontraram Maria e José, e o bebê deitado na manjedoura. Depois de o verem, contaram a todos o que lhes fora dito a respeito daquele menino, e todos os que ouviram o que os pastores diziam ficaram admirados.” (Lucas 2.8-18)

Você notou como os anjos anunciavam o nascimento de Jesus? Você notou também que os anjos não eram os únicos que anunciavam a vinda do Messias na história? Os pastores, depois de ouvirem o anjo do Senhor, de verem a multidão de anjos louvarem a Deus, e depois de visitarem Jesus, eles mesmos começaram a anunciar o Natal.

À semelhança do anjo do Senhor e dos pastores, nós devemos anunciar o Natal. Nós devemos contar a história a todo o mundo de como o Messias se fez como um de nós, porém, sem haver nEle pecado. Oremos por coragem e discernimento para fazer isso com a devida sabedoria e a inexprimível alegria.

O camelo

IMG_2649

Há muitas coisas que se conta da história do nascimento de Jesus das quais nós não temos certeza. Alguns exemplos:

  • Maria foi para Belém cavalgando um jumento? A Bíblia não diz como ela foi, qual foi seu meio de transporte. A Bíblia somente diz que ela viajou para Belém com José.
  • Jesus nasceu num estábulo? Não temos certeza. O que sabemos é que o local onde Jesus nasceu tinha uma manjedoura. Por vezes dizemos estábulos ou estrebarias porque sabemos que são locais que geralmente têm manjedoura.
  • Os três reis magos foram visitar Jesus com seus camelos? Em primeiro lugar, a Bíblia não diz que os magos eram reis. Em segundo, ela também não diz que eram três. Em terceiro, a Bíblia também não fala que eles foram visitar Jesus usando camelos como transporte. O que sabemos é que havia mais de um mago e que eles deram três diferentes presentes.

Nem tudo o que as pessoas falam sobre Deus é verdade, mas tudo o que a Bíblia nos ensina sobre Deus é verdadeiro, mesmo quando nosso coração tem dificuldades de acreditar. Por exemplo, Jesus disse que é mais fácil um camelo passar no buraquinho de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus. A dificuldade de entender ou acreditar em algo tão diferente, para não dizer esquisito, nunca deve ser uma de nossas desculpas para não buscar a fundo a verdade, revelada na Palavra de Deus, a Bíblia.

Oremos para que este Natal nós conheçamos e tenhamos certeza da verdade: Jesus Cristo nasceu, viveu e morreu para que nós tivéssemos vida, e vida em abundância.

A vaca

IMG_2652.JPG

Será que havia uma ou mais vacas no lugar onde Jesus nasceu? Não sabemos com certeza. O que é que então sabemos a respeito de vacas e o Santo bebê com certeza? Sabemos que essa informação, se havia ou não vacas no local e momento onde Jesus nasceu, não é importante para o nosso relacionamento com Deus. Se ela fosse, seguramente estaria escrito na Bíblia.

Toda a Bíblia é importante. Cada palavra foi escrita de acordo com a vontade de Deus. Todo o seu conteúdo, ou seja, tudo o que está escrito nela serve para que “o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” (2Tm 3.17) Quem não conhece a Bíblia não sabe o que é importante e quem não sabe o que é importante não consegue entender a vontade de Deus nem fazê-la.

Saber se haviam vacas quando e onde Jesus nasceu não é tão importante. Todavia, tomar o leite espiritual, como crianças recém-nascidas tomam o leite da mãe, é superimportante. Por quê? Simplesmente porque a Bíblia nos diz: “Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação.”

Oremos para que o Natal seja um momento para avaliarmos, de acordo com a Bíblia, o que é importante para as nossas vidas. O planeta não gira em torno dos nossos umbigos. Não vivam como as pessoas deste mundo, mas vivam de acordo com o que é importante para Deus. O centro do Natal não é o que você quer de presente, mas o presente que Deus deu para a humanidade: Jesus Cristo, o Salvador.

Os magos e a estrela

Na época em que Jesus nasceu, alguns magos, vindos do oriente, chegaram a Jerusalém perguntando: “Onde está o recém-nascido rei dos judeus?” (Mateus 2.1) Os magos tinham um conhecimento impressionante sobre os astros. Eles, inclusive, sabiam a respeito do nascimento de Jesus por causa de uma estrela muito especial.

Quando o Rei daquele território, Herodes, ouviu que pessoas falavam de um possível rei nascendo, ficou perturbado. Afinal de contas, ele não queria nenhum concorrente para o seu cargo. Como os magos, Herodes também queria saber onde Jesus estava, mas seu propósito não era adorá-lO. Pelo contrário, era matá-lO.

A informação dos especialistas era que Jesus estava em Belém. Partindo para lá, os magos continuaram a acompanhar a especial estrela, a qual somente parou quando apontou o local exato onde Jesus estava. Na presença de Maria, mãe de Jesus, os magos se prostraram em adoração ao verdadeiro Rei e ofereceram seus presentes: ouro, incenso e mirra.

A própria Bíblia nos ensina que “os céus declaram a glória de Deus” (Salmo 19.1a). Apesar dEle poder ser conhecido até certo ponto por meio da criação, as pessoas hoje negam e negligenciam Sua Salvação. Porém, haverá um dia quando gente de toda tribo, povo, língua e nação louvará a Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Em outras palavras, haverá gente de todo o canto do mundo, simplesmente porque receberam, por meio da fé, o presente universal mais valioso de todos os tempos: Jesus Cristo.

Jesus (bebê)

Jesus bebe lego

Eis que Deus plenamente apresenta Seu plano para o resgate da humanidade: Jesus. Nas palavras do evangelista Lucas: “Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor.” (Lucas 2.11)

Nunca houve, nem nunca haverá, um momento tão especial quanto o Natal: o nascimento do Messias. Jesus, sendo Ele Deus, se tornou como um de nós, de carne e osso, para nos dar vida em abundância, para nos livrar da condenação do pecado e para nos dar a certeza de que um dia tudo será positivamente diferente. Para desfrutar de tudo isso basta crer em Jesus, que disse: “Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não será condenado, mas já passou da morte para a vida.” (João 5.24)

A importância deste momento é tão grande que a salvação dos que nasceram antes de Jesus neste planeta, como a de todos que nasceram depois ou ainda nascerão, depende do Natal. Estaríamos para sempre perdidos e condenados se não fosse o profundo amor, a eterna fidelidade e o imenso poder deste tão grande Deus.

Oremos em gratidão e louvor a Deus pelo Natal. Nunca haverá maior e melhor presente do que o nascimento de Jesus. Peçamos a Deus que nós nunca nos esqueçamos dEle.